Depende? Então fud**!

É uma vergonha o que ocorre no futebol brasileiro nos últimos anos. Não quero falar de Fluminense, Portuguesa, Flamengo, Vasco, STJD, CBF, e etc. Independente dos fatos ocorridos desta vez, o que mais me preocupa é a fragilidade do sistema. Quando se deixa para as pessoas decidirem através de “brechas” ou “interpretações”, o resultado é o que temos acompanhado nas mídias e redes sociais. Independente de quem está errado ou deixa de estar, essa crise expôs graves problemas do atual sistema que gere o futebol brasileiro.

Trabalho diariamente com a capacitação de pessoas no sistema de produção lean / enxuta / Toyota (sim, são todos a mesma coisa na essência e na origem). Durante o trabalho do dia a dia, com os executantes de atividades, supervisores, gerentes e diretores, costumo sempre usar uma frase: “se depende, fu***”.

“Depende” implica que as pessoas podem fazer o que bem entenderem. E nessa situação, cada pessoa pode tomar decisão diferente daquela que produz o melhor resultado. Aliás, quando “depende”, até o que se define como “melhor resultado” pode ser interpretado da forma que melhor convier às pessoas que estiverem no processo naquele momento. E no futebol brasileiro, parece que tudo depende de muita coisa.

Depende de quem patrocina o clube rebaixado. Se for a mesma empresa que patrocina a organizadora do campeonato, ele não pode ser rebaixado.

Depende do tamanho da torcida e tradição do clube. Quando ele é grande e tradicional, a regra não se aplica a ele. Quando pequeno e de menor expressão, perde pontos para favorecer o clube patrocinado pela mesma empresa que patrocina a entidade organizadora do evento.

Depende da situação em que o clube a ser favorecido se encontra. Quando a regra desfavorece, ela não é aplicada (outro caso aqui). Quando favorece, aplica-se a regra.

Depende do tipo de infração. Se for por violência da torcida (e não do clube), a regra fica suspensa e o clube continua rebaixado. Quando não, aplica-se a regra e favorece o clube com patrocinador em comum à entidade organizadora.

Com tanto, depende, não é de se surpreender que o futebol brasileiro esteja mesmo fu****! E pra melhorar, a principal mídia “jornalística” deste país, tenta colocar panos quentes e justificar tudo. Exatamente quando precisamos expor os problemas para que eles possam ser resolvidos de uma vez por todas e rechaçar o estigma de país da corrupção. Mais uma vez as lideranças desse país perderam a chance de dar um bom exemplo. Desse jeito, continuaremos reféns de interpretações que sempre parecem favorecer algum interesse obscuro, e perpetuam a desconfiança nas instituições do país.

Anúncios

5 Respostas to “Depende? Então fud**!”

  1. Bernardo Medeiros Says:

    Ainda bem que você falou que não iria falar dos times.
    Você parou para pensar que se a Lusa não escala o Herivelton, quem cairia no lugar dela seria o Flamengo?

    Mas aí você vai falar que o clube que tem a maior torcida do Brasil não pode ser rebaixado.

    O Fluminense sempre foi coadjuvante em todos os processos que esteve envolvido.

    Em 1996, os protagonistas eram Corinthians e Atlético Paranaense, em 2000, Botafogo e São Paulo e agora, Portuguesa e Flamengo.

    Acho curioso você falar disso e esquecer do esquema das papeletas amarelas.

    Concordo com você que o futebol brasileiro está uma zona, e que sim, precisa ser moralizado doa a quem doer.
    Mas por favor, não diga que não vai fazer algo e o faça nas entrelinhas.

    Acho legal você expressar sua opinião, mas dê nome aos bois ao invés de apenas colocar links que o façam.

    O ódio ao Fluminense perpetrado pela Flapress é forte em você meu primo.

    • Marcelo Says:

      Bernardo, infelizmente o Fluminense estava no cerne dessa crise e por isso os exemplos foram pouco mais focados nele. Mas não é esse o ponto chave. A questão que quis retratar é exatamente o fato de o sistema do futebol brasileiro (sob responsabilidade da CBF) permitir tanto espaço para interpretações, cálculos e manipulação. O fato de “depender” de tanta coisa.

      Citei exemplos do Vasco inclusive e não apenas do Fluminense. Quando falei do clube de maior torcida do Brasil não poder ser rebaixado, falei como um problema, não como algo positivo. Se o critério foi seguir a regra à risca, porque não seguiram também no caso do Vasco e anularam o jogo? Perceba, não odeio o Fluminense. Aliás nem o Vasco odeio mais. Odeio é a corrupção que se faz evidente no Brasil e cria situações tão desagradáveis entre todos nós amantes do esporte.

      Um abraço!

      • Bernardo Says:

        O problema crônico é o da corrupção, com certeza.
        Deveriam sim ter anulado o jogo do Vasco. Só que aí, os rebaixados seriam portuguesa e flamengo. O que a Globo não permitiria.
        Enfim, não concordo com o que estão fazendo com o meu time.
        O Fluminense não teve culpa nenhuma de portuguesa e flamengo terem escalado jogadores irregulares.

  2. arlindo Says:

    do outro lado tem sempre um outro lado!!!!


E você? O que pensa a respeito?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: